domingo, 12 de setembro de 2010

comecomecome


imagem: nancee-art/flickr

comecomecome
come pessoa,
come pound,
come bandeira
come quintana e poe
come come come
come whitman
come joyce
come fellini
come
devora versos inteiros
dos poemas de ovidio
das eneidas de virgilio
dos amantes de Verona
shake shake shake
os willians
dvora
toda a iconoclastia
a putaria dos versos
fesceninos
e os mergulhos uterinos
de lautreamont
de bataille
de drummond
e faz uma sopa
uma papa
ou se quiser
o creme de la creme:
vomita tudo
Regurgita todas
as secreções
e aí restará
um poema novo:
levelivrelivro
um impulso elétrico
a percorrer a espinha
e a queimar na veia.
na veia

2 comentários:

nydia bonetti disse...

Pura bulimia poética. Sofremos todos deste mal - insaciável fome. Agora vou degustar mais alguns poemas avulsos pelos blogs.
Este comecomecome me abriu o apetite. :)Beijo, Danilo, boa semana!

MOISÉS POETA disse...

neoconcredismo pulsante.
gostei da expressividade.

grande abraço , danilo !