terça-feira, 12 de novembro de 2013

outros nós

:
não mais sós
sóis
que escorrem  dos corpos
e encharcam de luz
os lençóis
poesia que flui
e jorra de nós:

outros nós

domingo, 27 de outubro de 2013

eden

a poesia é foda
ao extrair da garganta
pássaros entalados
cântaros enlatados
e sentidos
mais do que senti
mentos
a foda é poesia
que se destrava
treva que se desfaz
quando se une
a carne mais do que almas
desenrolando nós
de séculos de sentidos
amor daçados
é  foda
esse poetar sobre o sentidos
perdidos
desde o jardim do eden 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013


sei que nada mais importa
a não ser sair por aí rompendo barreiras vivendo apressadamente a cem mil por hora cada minu
to
sei
que tudo é nadaa e nada é tudo e tudo caminha a passos de anos luz para o fim e para a definitiva
des
integração
mas
queria muito mais que isso e que chamam de viver a tanta velocidade a tanta infelicidade que
ria o tantra o tanto o canto encantado queria poder parar no meio do caminho na curva do mun
dó tenho dó de ser assim tão rascante tão deselegante tão embevecido comigo mesmo como  um song of myself
salve me vida salve a vida deste correr louco e me deixa ser como um passarinho que canta e que 
cala quando sente  que é hora e me faz ver em frente e enfrentar os mundo mesmo que os anos 
passem
e que eu enfraqueça
que não morram meus sonhos
e nem o próximo passo  ceda
aos precinpicios de areias
e eu não me enfureça com o 
fim
salve, vida!
 
 

sábado, 12 de outubro de 2013

traga-me flores

,e quando vier
traga-me flores, por favor,
e esse seu sorriso branco,
lindo,
cheio de dentes pérolas
pérgolas de luz:
sim, eu sei que as flores secam
e caem ao chão
e que o sorriso lindo se desfaz
ao vento, tudo em vão
e que os dentes pétalas
de lua
não permanecerão
mas é um momento belo,
é um instante pleno
esse, em que estivermos juntos,
com flores lindas dentes brilhantes
lábios nos lábios
mordidas
gemidos e lamentos:
e isto não se repete
nenhuma vez
cada vez é outra vez:
essa é a beleza do estar
no mundo
traga-me flores, por favor,
e seu sorriso lindo
quando chegar, ao anoitecer

sábado, 28 de setembro de 2013

um blue

um blue ainda resiste
dentro de mim:
a trama, inda que trêmula,
um trema esquecido na língua
que treme, tonta
um fim 
resiste a t0da investida
e inda que pop linda que rock finda
 que tarde
arde etílica metílico azul
lírica musa 
nos meus confins:
e lá do fundo
 dos meus planos,
dos meus anos
dos meus sonhos
choram as cordas retesadas
nas cordas vocais de veludo
nada tudo tudo.
tudo. 

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

em tua boca

soprar em teus ouvidos
segredos de quantros ventos
de quatrinventos
de quatrocentos talhares
soprar. só prá te sentir
queimando
em minha mão marota
que te arranha,alisa,
com calos fumegantes
soprar em teus ouvidos
delícias de palavras
em jardins de edens
ébanos e abanos
muito loucos
os teus ouvidos moucos
cederão?
só sedas rasgarei
em teus sentidos:
em tua boca
morrerei