terça-feira, 5 de julho de 2011

sessenta e um


imagem: azz/Flickr


eu poderia
discorrer sobre muito mais
do que sessenta e um motivos
prá estar de cara com o mundo
ou de porre com a vida
sim, eu poderia
abrir as comportas
e deixar escorrer palavras
como águas como mágoas
enxurradas de signos
entupindo bueiros
e vazando sentidos.
mas eu não.
nesta manhã fria de julho
quero apenas sorver o sereno
e a serenidade
e me encantar com o presente
que me é dado viver:
um dia a cada dia.

3 comentários:

MOISÉS POETA disse...

¨Para chegar-mos até aqui
atravessamos muitas mortes...¨


A Ti , a poesia , danilo !


um grande abraço !

Adriana Godoy disse...

Então, um brinde a você!!! Lindo poema, parabéns pelos 61 anos e que venham muitos mais! Parabéns, Danilo! Beijo

Celso Mendes disse...

nada como a serenidade de um belíssimo poema para se comemorar mais um ciclo. e que o tempo vindouro se arraste poesia.

abraço. parabéns!