quarta-feira, 4 de agosto de 2010

entreato


imagem: jonhy/flickr

disfarço-me
e me desfaço
no falso vão
que ficou
entre o que fui
e o que sou
...
por isso, o difícil
ofício
de escrever
[buscando o um)...

5 comentários:

Lou Vilela disse...

Lindo! Somos seres multifacetados, partes que compõem o todo... Cartesiano, não? rsrs

Beijos

Albuq disse...

perfeita nossa capacidade de se refazer, reconstruir.
bjs

ParadoXos disse...

breve e poético!

Sonia Pallone disse...

Conciso e perfeito! Poucas palavras e um mundo de percepção... Bom demais estar de volta, meu coração em festa vem agradecer o rastro colorido que vc deixou no meu Solidão de Alma enquanto estive ausente. Beijo grande poeta

jessica daiane disse...

Desejo que em sua vida...
Não exista cara feia,
Não exista bolso furado,
Não exista tempo apressado,
Muito menos grãos de areia.
Não exista tempo fechado,
Não exista problema dobrado,
Não exista sonho frustrado,
Muito menos amor acabado.
Não exista amigo esquecido,
Não exista negócio falido,
Não exista boato mexido,
Muito menos dinheiro sumido.
Não exista tempo nublado,
Não exista ambiente abafado,
Não exista corpo dobrado,
Muito menos bom senso abalado.
Não exista mágoa engolida,
Não exista emoção reprimida,
Não exista alma sofrida,
Muito menos felicidade perdida...
Só desejo que você seja feliz!!!
ADOREI SEU BLOG BJS EM CASCATA