terça-feira, 28 de julho de 2009

sagração da palavra


foto: 157.365 i have so many ideas- by ashley rose/flickr

Verborragia
Hemorragia do verbo
Que sangra, intermitente,
De pulsos abertos
De veias cortadas
De feridas vivas
De cicatrizes
matrizes
nutrizes
Das dores do poeta
Construtor e esteta
Dos seus próprios
Desatinos.

Verborragia
O poema em explosão
De sangue, de vida,
A palavra que pulsa
Que jorra, que jacta,
do coração do poeta
Ejaculando sentidos
E tecendo trilhas
Sem censura,
Sem cadeias,
Como o sangue
atropelado nas veias.

Verborragia:
O poema elétrico
A palavra primeira
O coitus ininterruptus
Da sagração da palavra.

2 comentários:

nina rizzi disse...

viva a palavra. que pra mim é mesmo sagrada: ela me salvou ;)

evoé, poeta :)

samuca santos disse...

dani, que sacada!
verborragia/hemorragia da palavra.
putz!
brlo e forte texto,
parabéns.
abçs