segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

até o osso


imagem: Today is a good day/Flickr

é que a geografia do desejo
desconhece barreiras
fronteiras
muros mares cercas
secas ou enchentes:
não mapas
não atlas
atitudes toscas
e caminhos árduos:
tudo é flor,
tudo é espinho
caminho ou descaminho
nos corpos nus
refratando
luz:
a geografia do desejo
se detém em acidentes
naturais
em montanhas e planícies
picos e reentrâncias
ossos do ofício
vãos
e desvãos
bicos e bocas
baco
e seus jogos
e bacantes:
bacana é isso
até no osso
a festa da vida

3 comentários:

Lara Amaral disse...

Muito bom!

Abraço!

Adriana Godoy disse...

Até o osso, até a alma, até o último fio de cabelo, até de madrugada.

Danilo, amei sua geografia do desejo.

Beijo

MOISÉS POETA disse...

e o resto é solidão...!

abraços !