domingo, 12 de dezembro de 2010

tango


imagem: pedro buridi/flickr

gostava que lhe mordessem os peitos
que gotejavam aos toques
de línguas ásperas
dedos calejados
grossos
ensebados.
gostava.
que lhe cobrissem
com baba, cuspe,
suores e secreções:
era santa, tonta, era
rainha e escrava- cravo
encravado unha roxa
e rosa:
bota e espora
tinindo trincando.
gostava. gozava.
da posse e do poder.
ensaiava depois
passos de tango, sozinha,
dmaginando os corpos ao lado
do seu. ensaiava lânguidos
movimentos lúbricos
tango e tragédia:
o tango é belo
por ser tão trágico
ou trágico
por ser tão belo?
toda beleza é trágica
desde o desertar. toda
tragédia é bela
ao traduzir
as inconstâncias do humano
refazer.

tengo te ango triste e trágico
belo e terrivel
movuimento de corpos
se esfregando, se esfolando,
follando
fundindo-se
nestas fodas inferceles
tiais.

gostava. que lhe mordessem os peitos
que gotejavam aos toques
de línguas ásperas
e dedos calejados

na solidão do quatro.

Um comentário:

fernando cisco zappa disse...

bravíssimo poema
estupefaciente

meu caro dan!

não sei se alitero
o quatro da solidão
são os pares de mãos

tango
na solidão silenciosa de dois


evoé!

fernando