terça-feira, 12 de outubro de 2010

rosa rosa rosa


imagem: Zikii/ Flickr

rosa rosa rosa
símbolo do nada, do existir
no vácuo
címbazlo que retesa
cordas
que enfeza corpos
em desalinho
cítara
de sons angélicos
flutuando
nas coxas das moças
como beija-flores:
rosa
sem poesia,
em poesia
te vejo
e te pressinto
presente:
rosa rosa rasa flor:
ah, o frescor
da brisa e a brasa
dos amantes
tem a tua cor

7 comentários:

Adriana Godoy disse...

Danilo, muitos poetas já falaram de rosas... Vc o fez de uma maneira mui bela. Uma rosa para ti! Beijos.

PS: Li os outros poemas que não conhecia: sensacionais. É bom vir aqui sempre.

Albuq disse...

Rosa... linda forma de falar dela.

Batom e poesias disse...

Tão bonito, Danilio...
"cítarade sons angélicos
flutuando
nas coxas das moças
como beija-flores"...

bj
Rossana

Domingos Barroso disse...

mulheres e rosas
cada qual com sua
marca: batons,
pétalas.

Forte abraço,
camarada.

nydia bonetti disse...

Porque uma rosa ainda é uma rosa - e será sempre - teu poema, mais que perfume e cor - tem sabor de vida. Sabe, Danilo, sinto uma energia tão boa na tua poesia - como uma fotografia da alma de alguém sempre de bem com a vida. Saio daqui sempre mais leve e mais feliz.:) Abraço!

Rafael disse...

Ficou muito bom, Danilo!
Abraço

Neuzinha Thamires e Keila disse...

Bom dia Poeta Danilo,

Muito lindo seu poema e muito interessante seu blogger, adorei.

ROSA ROSA ROSA

Irei postar em meu blogger.

Lhe convidamos a participar de nosso blogger será uma satisfação te-lo conosco.

Abraço,
Keila