sábado, 16 de janeiro de 2010

do not


imagem: Pool(s) - ceesjw/flickr

Do not translate
this poe-m:
or swall
the words
swords
iced
fiords
let the poem
fly, like flies
and lies

say good-bye
as a shining
in a acid sky.
i... am a anonimy
try poetry
try poe
and break ties

but let the words
and the poems
rest in peace
like bread and butter
one only body
on thew tableau
any language
all the tongues:
sing the songs
of yourself:
o sangue das canções
tatua-se na pele
como ideogramas:
血液中的歌曲
休息
語言熱!
deixe o poema viver
na minha, na sua,
em nossas línguas,
mãe!,,

3 comentários:

nina rizzi disse...

sabe que eu gosto de ler poemas em outros idiomas, mesmo quando não as sei: a sonoridade me agrada (até excita).

ai, mas amei esses últimos versos, mamãe... que coisa boa...

beijo.

maria neusa disse...

Que bom que vc voltou a escrever..estava sentindo sua falta aqui...beijos amigos da maria neusa

Adrian Dorado disse...

Me pareció de una sonoridad maravillosa y sorpendió la creatividad. Y al final, sí señor:
¡Que se construya el poema en todas las lenguas... madres.

Abrazo Danilo muy bueno